Gestão da Informação

É sabido que a informação se tornou um bem de grande valor no mundo globalizado. Quem detém dados, informações e a capacidade para transformá-los em conhecimento, tem uma mina de ouro segura e volumosa. No entanto, lidar com grande quantidade de informações, em determinada situação, pode ser considerada humanamente muito difícil, mas não impossível...

Décadas atrás os dados eram registrados em papel; exemplificando: o cadastro de um funcionário de uma empresa hipotética era uma pasta cheia de documentos impressos guardados em um armário metálico. Problema nenhum nisso se essa empresa hipotética tem 6 funcionários, mas em uma com 4000 funcionários, manter a organização, o armazenamento ou até mesmo encontrar informações de um funcionário específico pode se tornar uma tarefa temerosa. Tornou-se imprescindível, principalmente nas corporações, acessar uma informação no menor tempo possível, pois passar demasiado tempo nessa tarefa, hoje, configura perder dinheiro.

Nesse contexto, com o advento das Tecnologias da Comunicação e desenvolvimento da Gestão da Informação, a digitalização de dados trouxe a vantagem de aprimorar os métodos de manuseio do ‘conhecimento’, tornando-o um processo muito mais rápido. Assim, a análise de grande volume de informações já é possível e se estabeleceu como uma prática importante para as organizações que pretendem acompanhar o mercado no qual estão inseridos. As ferramentas de análises são responsáveis por transformar um conjunto de dados brutos em informações, que podem ser transformadas em conhecimento para direcionar planos de ação estratégicos.

Algumas dessas ferramentas podem ser citadas, como o SAS, considerada a principal ferramenta para análise de dados do mundo, permiti realizar análises avançadas e produzir gráficos e a plataforma fornece acesso a suporte, treinamentos e certificação de proficiência, devido a interface não ser tão simples. O DataMelt permiti a análise estatística de dados, muito usado em engenharia e modelagem. A Knime Analytics Platform auxilia a manipulação, análise e modelagem de dados, possibilitando os usuários descobrir possíveis sinais em seus dados e prever futuros. O OpenRefine pode executar várias tarefas em dados, incluindo limpeza, transformação e formatação de dados para torná-los mais adequados para análise e exploração. É uma opção importante e bem vista por muitas organizações, devido à quantidade significativa de tempo que os analistas gastam na limpeza de dados para modelagem preditiva. O Orange é uma ferramenta de análise e visualização onde os usuários podem extrair dados, realizando análise exploratória e se estende a funcionalidade de mineração de dados de fontes externas para execução de mineração de texto, por exemplo. O Trifacta Wrangler ajuda os analistas a limpar e preparar dados confusos de diversas fontes, permitindo importação de dados automaticamente do Microsoft Excel, arquivos JSON e arquivos CSV brutos. O Matlab também é uma ferramenta para análise de dados bastante usada pela engenharia e na área de TI.

A gestão da informação é definida por vários autores na literatura específica, mas pode ser resumida como sendo o estabelecimento de processos, etapas ou fluxos sistematizados e estruturados, com a obtenção, tratamento, armazenamento, distribuição, disseminação e uso da informação dentro das organizações, auxiliando os gestores na tomada de decisão, em busca de atingir as metas estabelecidas pelas organizações. Dessa maneira gerenciar a informação é atividade fundamental e indispensável às organizações que pretendem se manter competitivas.

Autoria

  • Karla Acemano De Jesus
    Engenheira
    Mesquita-RJ
    Doutora em Engenheira Química e Especialista em Eng de Segurança e Higiene do Trabalho. Docente, Perita e Consultora técnica.

Olá, você só poderá enviar comentários quando se registrar ou realizar seu login.